quarta-feira, julho 12, 2006

Disciplina ou Deslumbramento?

2 comentários:

André Odashima disse...

O olhar da fotógrafa parte do interior do ambiente, escuro, solitário e melancólico. E percebe a luz, que é liberdade; mas esta liberdade é relativa, pois se encaixa dentro de retângulos monótonos, que, por sua vez, contrastam com a imagem difusa que está por trás deles mesmos. Nada, será, pode iluminar a existência que não seja ou monótono ou difuso?
A imagem consegue captar o mais alto drama existencial sendo ao mesmo tempo inorgânica e aparentemente simples.

andre odashima disse...

O olhar da fotógrafa parte do interior do ambiente, escuro, solitário e melancólico. E percebe a luz, que é liberdade; mas esta liberdade é relativa, pois se encaixa dentro de retângulos monótonos, que, por sua vez, contrastam com a imagem difusa que está por trás deles mesmos. Nada, será, pode iluminar a existência que não seja ou monótono ou difuso?
A imagem consegue captar o mais alto drama existencial sendo ao mesmo tempo inorgânica e aparentemente simples.